Paul Brunton Daily Note

Naquele momento de supremo êxtase sexual, a pessoa mais espiritualmente empobrecida obtém um vislumbre desvanecido e fugaz do amor inerente à própria natureza de seu Eu Superior. Mas enquanto esse vislumbre meramente a atormenta por sua brevidade e a tantaliza por seu caráter limitado e falho, aquele amor impessoal superior é eterno, ilimitado, e supremamente satisfatório: é de fato amor perfeito.

4.5.7.109
Ouvir2019-03-19

  • De The Notebooks of Paul Brunton, volume 4
  • Categoria 5: The Body
  • Capítulo 7: Sex
  • Número: 109

The notebooks are copyright © 1984-1989 The Paul Brunton Philosophic Foundation

This site is run by Paul Brunton-stiftelsen · info@paulbruntondailynote.se